Diante da recente e ainda presente crise financeira do Brasil, muitas famílias tiveram que cortar gastos — até mesmo os mais necessários, como o plano de saúde. De acordo com o site G1, em 2016, o número de clientes dos planos individuais teve uma queda de 1,84%.

Enquanto isso, houve uma migração para o plano de saúde empresarial. Ainda segundo o portal G1, esse tipo de contrato atingiu os 32,1 milhões de clientes. Mas será que vale a pena adquirir um plano de saúde empresarial? Quais são os riscos e benefícios desse tipo de serviço? Falaremos sobre isso neste artigo! Acompanhe!

Quais são os riscos de adquirir um plano se saúde empresarial?

O plano de saúde empresarial pode ser contratado junto a uma operadora de saúde por uma empresa, conselho, sindicato ou associação.

A cobertura do contrato se estende não só às pessoas vinculadas à entidade contratante como também aos seus dependentes diretos. Será que há riscos nesse tipo de contrato? Vamos analisar.

Reajustes anuais

Alguns olham com suspeita para a correção dos valores das mensalidades dos contratos empresariais. A razão para isso é que esse índice não sofre a intervenção direta da ANS — Agência de Saúde Suplementar.

No entanto, basta analisarmos mais a fundo esse assunto para o entendermos melhor. De fato, os planos de saúde empresariais que incluem até 29 pessoas são reajustados por meio de um acordo entre a operadora de saúde e a pessoa jurídica contratante.

Porém, esses valores precisam ser comunicados à ANS em até 30 dias após o seu aumento. Portanto, quaisquer elevações absurdas de preço serão avaliadas por esse órgão público.

Além disso, todas as demais regras legais que se aplicam aos planos individuais também têm efeito sobre os empresariais. Ao comparar mais de perto os reajustes dos planos individuais e empresariais podemos ver que não há uma grande diferença.

Por exemplo, a ANS fixou, em 2016, o teto de 13,57% para o aumento dos preços dos planos individuais. Em contrapartida, houve contratos empresariais que reajustaram abaixo desse percentual e outros que não passaram de 15%.

Reincidência de contrato

Outro receio muito difundido é que no plano de saúde empresarial o contrato pode ser cancelado a qualquer momento após 12 meses de vigência e, para isso, basta que a operadora comunique ao cliente com 60 dias de antecedência.

Isso também é verdade. Contudo, em casos nos quais fique evidente a má-fé por parte da operadora de saúde na interrupção do contrato, os afetados por essa ação podem contar com os dispositivos jurídicos legais para a solução desse problema.

Quais são os benefícios?

Mensalidades menores

A revista Exame publicou uma pesquisa feita pela Mercer Marsh — líder mundial de gestão de riscos e seguros — que constatou que um plano individual pode ser até 150% mais caro que um empresarial.

Em razão desse benefício, muitas famílias veem nesse tipo de contrato a saída para não perder o seu plano e cair nas incertezas do Sistema Único de Saúde (SUS).

Infelizmente, foi isso que aconteceu com muitas famílias que não conseguiram arcar com as mensalidades de seus contratos devido à crise financeira de nosso país.

Acesso a melhores serviços

Mesmo quando se contrata um plano de saúde individual ou familiar, pode não ser possível o acesso a serviços de qualidade. Uma vez que, muitas vezes o preço que o contratante consegue pagar não lhe proporciona ingressar nas melhores operadoras de saúde do Brasil.

Essa situação muda com os planos empresariais que, por serem mais baratos, dão às pessoas com uma renda menor a oportunidade de usufruírem dos serviços de excelência de grandes corporações da área da saúde.

Sendo assim, com um pouco de equilíbrio é possível diminuir os receios e valorizar as vantagens de possuir um contrato de saúde empresarial. Desse modo, você poderá ter a tranquilidade de ver sua família com a saúde bem protegida!

O que achou de nosso artigo? Conseguiu ver os benefícios do plano de saúde empresarial? Deixe seu comentário em nosso post!