A administração moderna utiliza processos e ferramentas de gestão de pessoas que atraem e retêm talentos, melhoram o clima organizacional, contribuem para o desenvolvimento profissional dos colaboradores, diminuem o turnover, aumentam a motivação dos funcionários e conquistam resultados extraordinários. Entre os recursos usados, está o plano de salários e benefícios, desde que definido de maneira estratégica.

Atualmente, os profissionais buscam muito mais do que apenas um salário: eles querem conquistar reconhecimento, enxergar o propósito de seu trabalho, usufruir de um pacote de benefícios atrativo, ter oportunidades de crescimento e desenvolvimento entre outros anseios que variam conforme o perfil, área de atuação e faixa etária. Isto é, uma remuneração estratégica.

No post de hoje, conheça mais sobre como usar esse recurso para o sucesso de sua equipe e empresa. Acompanhe!

Saiba o que é remuneração estratégica

Nesse tipo de remuneração, além do salário (compatível com o cargo que ocupa) é oferecido um conjunto de outras possibilidades para remunerar. Veja alguns.

  • Por conhecimentos específicos: levam-se em conta certificados e títulos conquistados (mestrado, doutorado, MBA, especialização etc.).
  • Por competências: se o funcionário demonstra aptidões que vão além de seu cargo, busca-se uma forma de remunerá-lo por isso.
  • Por alcance de metas: remuneração variável por meio de comissões e bônus oferecida individual ou coletivamente.
  • Por participação nos lucros: implantar com sucesso ações que reduzam custos e aumentam lucros são reconhecidas por meio de um percentual dos lucros que é repassado aos colaboradores.
  • Por definição da empresa: benefícios coletivos e alguns benefícios variáveis, os incentivos.

Confira 5 dicas para implementar salários e benefícios de maneira estratégica:

Elabore um diagnóstico

Trace um diagnóstico, o mais detalhado e completo possível, tanto da empresa, da estrutura atual de cargos, salários e benefícios, como dos funcionários. Se você não tiver em sua atual estrutura como fazê-lo, contrate uma consultoria para providenciar um relatório com esses tópicos.

Defina uma nova política de gestão de pessoas

O diagnóstico deve conter uma análise dos salários atuais, o organograma, a descrição de atividades por cargo, os diferentes perfis dos colaboradores e convenções coletivas. Com ele em mãos, a diretoria deve definir aonde quer chegar e como melhorar a gestão de pessoas da companhia. Com isso, será possível definir quais conhecimentos e habilidades serão incentivados e quais serão as próximas metas de toda a empresa.

Estabeleça um plano de implementação

Seja pé no chão, não utilize fórmulas prontas e planos mirabolantes ou metas que não sejam condizentes com a realidade da empresa. Implante ações que permitam a sua manutenção e continuidade e esteja aberto a adaptá-las ao longo do tempo. Inclua no seu plano métodos para prever novas ações, alterar prazos, analisar métricas para mensuração e verificar possibilidades de evolução.

Comunique-se de forma direta

Para que se mantenha como diferencial competitivo, é preciso que não se criem expectativas impossíveis de serem alcançadas. Além disso, o plano não deve afetar a sustentabilidade da companhia. Para que isso tudo seja comunicado de maneira eficiente, defina os melhores canais para isso, elencando formatos de mensagem e periodicidade para uma comunicação corporativa transparente e direta.

Mostre a importância de todos para o sucesso

É importante preparar as lideranças para a implantação e aplicação do plano no dia a dia, seja por meio de treinamentos, reuniões periódicas, comunicados etc. Apesar de ser uma iniciativa da diretoria ou da área de Recursos Humanos, todos os funcionários e os gestores de todas as áreas devem ter visão clara de qual é o papel de cada um para a manutenção e evolução do plano de salários e benefícios.

Enfim, qualquer que seja o porte ou segmento da empresa, uma gestão de pessoas que leve em conta a remuneração estratégica mostra-se como diferencial competitivo. Para os funcionários, apresenta-se como meio de se desenvolver e crescer profissionalmente. Já para as companhias, destaca-se como modo de atrair e reter talentos, motivar seus colaboradores e se diferenciar perante a concorrência.

Gosta de dicas sobre gestão de pessoas? Siga-nos nas redes sociais e confira outros artigos sobre o tema.