Saber como definir os benefícios para colaboradores da sua empresa é muito importante. Porém, em meio a uma infinidade de opções, como é possível identificar as melhores?

Existem aqueles que são obrigatórios — FGTS, vale-transporte, décimo terceiro e férias. E também há muitos outros que são opcionais e podem variar entre empresas e áreas — bolsas de estudos, plano de saúde, vale-cultura e auxílio alimentício.

Continue lendo este artigo que desenvolvemos para facilitar ainda mais sua escolha. Vamos dar algumas dicas de como definir os benefícios ideais e, com isso, otimizar seus resultados internos.

Boa leitura!

O que analisar antes de escolher benefícios para colaboradores?

Para fazer uma boa escolha é importante, primeiro, analisar algumas variáveis. É claro que nem toda empresa deve oferecer os mesmos benefícios corporativos, afinal, o público-alvo (colaboradores) é sempre diferente.

Para os mais inovadores, por exemplo, o vale-cultura pode ser uma ótima escolha. Mas para outros, o auxílio-creche pode ser ainda melhor. Assim, uma boa decisão dependerá sempre de algumas variáveis. Vejamos três questões que sempre devem ser observadas:

Os funcionários

Esse é o público-alvo dos benefícios. Por isso, é importante que eles enxerguem um real valor nas propostas oferecidas pela sua empresa. Algumas coisas devem ser consideradas, como nível educacional, estado civil, idade média da equipe e a posição hierárquica.

A cultura organizacional

Se a cultura do local de trabalho valoriza o crescimento intelectual e busca profissionais cada vez mais qualificados, a bolsa de estudos é uma ótima ferramenta. Para saber se é esse o caso, analise bem as crenças internas e os valores da instituição.

Os concorrentes

O que seus concorrentes oferecem? Os benefícios oferecidos por eles são suficientes para atrair profissionais talentosos ou fazer com que seus colaboradores mudem “de lado”? O nome disso é benchmarking, uma análise da concorrência para entender e aproveitar o que eles fazem, aprimorando o que oferecem de melhor.

Como criar uma política de benefícios?

Além de observar os direitos trabalhistas previstos na legislação brasileira, é preciso levar em consideração valores específicos de cada colaborador.

Veja agora algumas dicas de como criar uma boa política de benefícios:

Considere a opção dos benefícios comuns

Benefícios comuns são rotineiros e aparecem em todo tipo de empresa, visto que, geralmente, compreendem todos os perfis de funcionários. Eles são facilmente encaixados nas condições e nas necessidades de cada um.

Vale-refeição, planos médicos e odontológicos são os mais utilizados nesse caso. Então, inclua o máximo de pessoas com estes privilégios, de modo a valorizar o empenho de cada profissional no decorrer de suas atividades.

Crie benefícios próprios para motivar seus funcionários

Quem quer se destacar no mercado tem uma direção de benefícios voltada para encorajar as equipes. Alguns exemplos são: bônus salarial por tempo de serviço, prêmios por rendimento e assistências para investimento em cursos profissionalizantes ou mesmo de idiomas.

Todas essas opções visam incentivar o funcionário a melhorar seu desempenho, de forma a conquistar uma gratificação. No longo prazo, o resultado é um número maior de profissionais satisfeitos, o que aumenta a produtividade do seu negócio.

Respeite as leis trabalhistas

Ainda que as possibilidades, no decurso da criação de políticas de benefícios, sejam grandes, é fundamental consultar uma equipe jurídica. Isso pode auxiliá-lo na hora de acompanhar os profissionais de RH quando forem expor as regras que serão aplicadas.

Alguns cuidados iniciais são importantes para evitar algum problema com a lei. Certifique-se de que os benefícios serão aplicados do modo correto. É isso que poderá evitar prejuízos futuros para a empresa e também para seus colaboradores.

Adapte a política ao seu negócio

Não importa se sua empresa é grande ou pequena, pois ela age e produz de forma diferente de qualquer outra. É por conta disso que sua política de benefícios deve ser programada conforme o público interno e suas necessidades.

O administrador precisa analisar com atenção seus colaboradores, principalmente, para saber quais as opções e o que os motiva a querer melhorar. Ações como essa trazem variados benefícios para seu negócio, que contará com funcionários aplicados e comprometidos com a produção eficiente em troca de boas recompensas.

Determine regras na política de benefícios

Observadas todas as possibilidades, o gestor deve determinar certas regras para o aproveitamento da política de benefícios. É necessário delimitar, para começar, se ela será flexível ou igual para todos.

Na administração flexível, o colaborador possui liberdade para optar — entre uma quantidade limitada de escolhas — alguns benefícios em relação a outros, de acordo com o que se encaixar melhor a suas necessidades.

Já na segunda opção, os benefícios são determinados de forma igual para todos os funcionários, sem a possibilidade de escolha.

Estudar os prós e contras de ambas as opções de atuação é algo que deve ser feito, visando garantir uma gestão eficiente e coerente com as metas da empresa.

Quais benefícios podem ser oferecidos?

Com o auxílio de uma administradora de benefícios, após analisar as principais variáveis, é hora de escolher quais se adéquam ao seu time. Essa escolha é muito importante pois, além de contribuir para a retenção de talentos, também ajudará a atrair bons profissionais.

Vejamos os principais benefícios que podem ser oferecidos:

1. Plano de saúde

Utilizado por todos os tipos de negócios e, hoje, um item quase obrigatório. O plano de saúde transmite seriedade e apreço pelos funcionários. Tais planos podem ser contratados a partir de dois beneficiários e existem diversos padrões para escolher.

2. Vale-cultura

Muito usado nas empresas mais modernas, como startups, e que possuem foco em colaboradores mais jovens. O vale-cultura é bastante interessante e demonstra flexibilidade por parte do empregador.

3. Auxílio-creche

Indicado para empresas que possuem funcionários mais maduros, casados e, claro, com filhos. O auxílio é uma importante ajuda ao fim do mês e, com uma preocupação a menos, o rendimento pode aumentar dentro da equipe.

4. Vale-refeição

​Ideal para empresas onde o trabalho é mais corrido, como os bancos. O vale-refeição é importante quando o horário de almoço é mais apertado, especialmente nos grandes centros. Além disso, também é interessante para classe de motoristas, por exemplo.

5. Bolsas de estudos

Para empresas que valorizam a educação dos seus colaboradores, preocupando-se em ter uma equipe sempre atualizada, as bolsas de estudos podem ser uma boa pedida. Elas tendem a atrair um público mais jovem.

Existem ainda benefícios mais informais, como o no dress code, que nada mais é do que a possibilidade de se vestir sem formalidades, dentro de um certo limite.

Nas empresas mais modernas, também são oferecidos happy hour e flexibilidade no horário de entrada, contato que a jornada de oito horas diária seja cumprida.

Independentemente da sua escolha, o importante é lembrar que os benefícios para colaboradores irão ajudar na sua estratégia de gestão de pessoas. Além disso, os resultados positivos poderão ser vistos nos números da empresa.

Agora você já sabe como gratificar seus funcionários, que tal assinar nossa newsletter? Fique por dentro de todas as novidades do mundo corporativo e seja um gestor cada vez melhor!