Uma boa gestão de benefícios pode garantir que os colaboradores da sua empresa se mantenham motivados e satisfeitos com o trabalho. Como consequência, eles terão um melhor desempenho em suas funções e uma maior qualidade de vida.

Disponibilizar aos funcionários vale-transporte, vale-alimentação e plano de saúde é uma ótima maneira de incentivá-los.

Porém, é necessário ter cuidado para que o projeto seja vantajoso tanto para o negócio quanto para os trabalhadores. Para te ajudar, reunimos aqui algumas dicas de como otimizar a gestão de benefícios da sua empresa. Acompanhe!

Faça o planejamento da gestão de benefícios

Um bom planejamento deve ser feito antes da criação do plano de benefícios. Ele deve abordar três tópicos básicos:

  • reais necessidades dos funcionários;

  • custo-benefício para a empresa;

  • parcerias possíveis.

Para saber sobre cada item citado é necessário realizar pesquisas internas e externas. Conhecer os colaboradores, as taxas e o mercado pode evitar desperdício de recursos financeiros e garantir a prestação dos melhores serviços.

Ainda é possível averiguar se a empresa tem recursos próprios para oferecer algum tipo de benefício, sem auxílio de terceiros.

Um planejamento bem estruturado assegura que os benefícios estejam em conformidade com a estabilidade de funcionários almejada pela organização e com os objetivos pessoais e profissionais dos colaboradores.

Informe os funcionários sobre os benefícios

Não basta oferecer benefícios aos colaboradores se eles não souberem a quais eles têm direito. Portanto, é fundamental que os funcionários conheçam os benefícios que a empresa oferece.

A falta de comunicação pode gerar prejuízos consideráveis para a empresa, então fique sempre atento à falta de conhecimento dos colaboradores sobre os benefícios e busque sempre mantê-los informados.

Adote uma política transparente

A transparência tem se tornado a palavra de ordem nas organizações, e há um bom motivo para isso. Profissionais que sabem que são informados sobre as principais transações e tomadas de decisões da empresa sentem-se como parte integrante de um todo.

E essa divulgação coerente das informações relevantes deve se estender à política de oferecimento dos benefícios.

Os colaboradores devem saber a quais condições está atrelado o seu recebimento. Eles devem compreender o que pode levá-los a deixar de ganhar certo benefício, bem como os valores das taxas que serão descontados em seus salários.

Isso pode evitar problemas no futuro, como contestações, mal-entendidos, insatisfações, reclamações e conversas de corredor maledicentes.

Verifique a porcentagem de uso dos benefícios

Para que essas vantagens realmente sirvam como um incentivo aos colaboradores é importante que elas sejam utilizadas por eles.

Por isso, é importante verificar o percentual de uso dos benefícios, observando quais deles são mais e menos usados, e se os funcionários estão satisfeitos com as vantagens oferecidas pela empresa.

Um ponto importante a ser averiguado, caso se constate a baixa utilização do benefício, é se a sua divulgação está sendo feita da melhor forma possível, como afirmamos anteriormente. Cabe à comunicação interna esse papel.

Vale ressaltar que para otimizar a porcentagem de uso, a empresa pode melhorar o plano de benefícios, facilitar o acesso a eles ou estendê-los às famílias.

Trace um perfil dos funcionários

Conhecer os funcionários é fundamental para oferecer um plano de benefícios que surta efeitos eficientes.

Ao traçar o perfil dos colaboradores, toma-se ciência de quais são os benefícios que mais os atraem e, consequentemente, trazem maior satisfação.

Considere as reais necessidades dos colaboradores

É fundamental adequar o plano de benefícios às reais necessidades dos trabalhadores.

Por exemplo, os mais jovens geralmente preferem benefícios relacionados ao desenvolvimento pessoal e profissional, enquanto os mais velhos preferem os que garantam mais segurança para ele e sua família.

Além disso, adequar a distribuição de benefícios como vale-transporte e vale-alimentação às reais necessidades do funcionário pode reduzir gastos da empresa. Para isso, lembre-se de incluir no cálculo desses benefícios as folgas, afastamentos e férias.

Desse modo, você garante que benefícios sejam de fato utilizados pelos funcionários e que eles realmente se satisfaçam com as vantagens obtidas.

Seja flexível

Não se pode enquadrar todos os funcionários em um mesmo espectro. Cada um tem seus próprios gostos, desejos e metas. Esses fatores podem variar de acordo com a idade, com o estilo de vida, gênero, etc.

O pacote de benefícios deve ter valor agregado a cada um dos profissionais. Dê a eles um certo nível de poder para decidirem em relação a quais benefícios aderir e, em alguns casos, se querem aderir de forma integral ou parcial.

A flexibilidade das negociações pode ser um fator positivo tanto para a empresa quanto para os funcionários.

Realize pesquisas de satisfação

A opinião dos empregados sobre os benefícios concedidos pela empresa é de extrema importância. Afinal, eles são os destinatários dos planos.

Escutar os feedbacks dos colaboradores em relação aos benefícios oferecidos permite saber a opinião de quem utiliza (ou não) os planos como proporciona a sua adequação aos usuários.

Analise o retorno do programa à empresa

É importante que o programa de benefícios esteja sendo tão vantajoso para a empresa quanto para os funcionários. Por isso, é fundamental avaliar se os planos estão trazendo algum retorno para a empresa.

Os planos de benefícios podem diminuir a rotatividade voluntária e os gastos com desligamentos, admissões e treinamentos. Caso o programa não esteja trazendo retorno para a empresa, é importante reavaliar o projeto para que todos saiam ganhando.

Como opções, pode-se mudar para outro tipo de benefício, mudar de operadora ou, ainda, cancelar. Sempre deixando bem claro para os funcionários a razão das alterações ou cortes.

Contrate uma administradora de benefícios terceirizada

Terceirizar funções do setor de Recursos Humanos pode melhorar a eficiência de alguns processos. No caso da gestão de benefícios, contratar uma empresa terceirizada pode ser uma alternativa muito interessante para que os programas implementados garantam retornos melhores.

As administradoras de benefícios são empresas regulamentadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Elas podem conseguir melhores taxas junto às operadoras dos planos. E, por manterem parcerias, garantem uma maior qualidade e confiabilidade na entrega dos benefícios.

Muitos trabalhadores, antes de aceitarem uma oferta de emprego, analisam os planos de benefícios oferecidos. Para eles, tais vantagens são tão importantes como o salário.

A gestão de benefícios proporciona uma maior retenção de talentos, aumenta a produtividade e diminui o absenteísmo. Para tanto, é importante que a empresa se preocupe com o bem-estar dos funcionários, oferecendo vantagens palpáveis a eles.

Contudo, ao aumentar o nível de satisfação dos colaboradores, a empresa deve procurar sempre alinhar os benefícios com os objetivos da organização.

Este post foi útil para você? Quer saber mais sobre gestão de benefícios e/ou sobre as administradoras de planos? Então, entre em contato conosco!